>
A arte de construir sorrisos

Perguntas Frequentes

Sentir dor ao comer determinados alimentos pode indicar hipersensibilidade dentinária; o problema é comum, mas leva pouca gente ao dentista

Um café feito na hora, um suco de laranja refrescante, uma sobremesa açucarada. Alimentos como esses, que para a maioria das pessoas remetem a experiências prazerosas, podem ser sinônimo de dor para quem tem dentes sensíveis. O problema, conhecido pelos especialistas como hipersensibilidade dentinária cervical, afeta cerca de 15 milhões de brasileiros, de acordo com estimativas mundiais. Apesar de ser mais comum em adultos jovens, com idade entre 20 e 40 anos, pode aparecer também em outras fases da vida.

O sintoma -dor aguda que surge devido a certos estímulos, como alimentos frios, quentes, ácidos e doces e escovação- costuma ser confundido com uma cárie. Nem todo mundo, no entanto, procura tratamento.Muitos pacientes acabam se acostumando com a dor. Apenas 49% procuram um profissional.As causas são variadas, mas têm um fator em comum: a exposição da dentina, camada do dente que normalmente fica protegida pelo esmalte. Dentro dessa estrutura, há milhares de canais cheios de líquido, chamados túbulos dentinários. Estímulos que mudem a pressão ao longo do dente -alta ou baixa temperatura, por exemplo- provocam uma rápida movimentação desse líquido, que estimula as terminações nervosas, provocando a dor.

A erosão do esmalte que protege a dentina é uma causa comum de hipersensibilidade dentinária. Escovação muito forte e consumo excessivo de refrigerantes, frutas cítricas e bebidas isotônicas são o principais vilões. Acreditamos que o problema esteja aumentando. Os adolescentes bebem litros de refrigerante. Isso é perigoso para o dente. Prevenir é o mais importante. Muita gente acha que terá uma vida saudável ao tomar suco de laranja. De fato, as frutas cítricas são boas para o organismo, mas, se consumidas em excesso, fazem mal para o dente.

Outra causa freqüente de hipersensibilidade é a retração gengival (quando a gengiva se desloca, deixando a dentina exposta). Segundo o doenças periodontais e escovação inadequada -com escova de cerdas muito duras ou usando muita força- são dois fatores que fazem com que a gengiva se retraia. Com a idade, também é comum haver uma retração fisiológica leve ou moderada.

Refrigerante prejudica os dentes

Tomar refrigerante acarreta a erosão dental, processo caracterizado pela perda do tecido duro da superfície dos dentes. É o que comprova pesquisa coordenada por Jaime Cury, da Faculdade de Odontologia de Piracicaba, vinculada à Universidade Estadual de Campinas. Os resultados do estudo foram publicados na Revista de Odontologia da Universidade de São Paulo (volume 13; número 2).

O tecido duro da superfície dos dentes se divide em duas camadas: a mais externa corresponde ao esmalte e a mais interna, à dentina. A redução da dureza tanto do esmalte quanto da dentina deixa os dentes com má aparência, além de causar dor. De acordo com o trabalho de Jaime e sua equipe, quanto mais freqüente é o consumo de refrigerante, mais grave é a erosão dental. E, mesmo depois que o refrigerante pára de ser consumido, a ação da saliva não é suficiente para recuperar totalmente o tecido duro da superfície dos dentes.

“O tratamento restaurador do esmalte e/ou da dentina é difícil, oneroso e requer contínuo acompanhamento”, dizem os pesquisadores no artigo. “Em função da natureza do fenômeno de erosão somente medidas de promoção de saúde bucal poderiam contribuir para o seu controle”, comentam. “Deste modo, orientação para reduzir a freqüência de contato dos dentes com refrigerantes, alimentos ácidos ou medicamentos é o conselho mais lógico e efetivo.”

Os pesquisadores produziram blocos de esmalte e de dentina a partir de dentes bovinos. “Foi escolhido dente bovino não só pela facilidade de obtenção, mas principalmente pelo fato de ter comportamento similar ao de dentes humanos em estudos de erosão”, explicam no artigo. Os blocos foram colocados na cavidade bucal de seres humanos, que, durante o estudo, ingeriram de um a oito copos de refrigerante por dia.

A análise dos blocos após o consumo de refrigerante – bebida de elevada acidez – revelou “perdas irreversíveis de dureza do esmalte e da dentina”, relatam Jaime e sua equipe no artigo. “Medidas de promoção de saúde bucal devem ser enfatizadas devido à natureza do fenômeno de erosão dental provocado por ácidos também de outras origens”, concluem.

Pacientes com dor orofacial crônica apresentam mais bruxismo

O bruxismo, hábito de apertar e ranger os dentes é comum em cerca de 15% das pessoas. Esses pacientes podem sofrer fortes dores de cabeça, desgaste dos dentes e distúrbios da articulação mandibular.

Normalmente este hábito ocorre à noite onde inconscientemente não se consegue ter controle das forças utilizadas nesta parafunção. O bruxismo pode ser observado em todas as faixas etárias e com prevalência semelhante em ambos os sexos. As causas deste problema podem ser a tensão emocional e o fechamento inadequado da boca.”

Estudo realizado por pesquisadores da Faculdade de Odontologia da Universidade Estadual de São Paulo (UNESP), associados a pesquisadores da USP (Universidade de São Paulo) investigou os aspectos e as características clínicas dos pacientes com bruxismo com e sem dor orofacial.

Os resultados da investigação mostram que foram encontradas diferenças estatísticas entre o bruxismo com e sem a dor facial crônica

Você tem Doença Periodontal?

Você pode nem imaginar que gengivas que sangram, estão inchadas ou avermelhadas, que a sensibilidade dental, e o mau hálito são sinais alarmantes de doenças periodontais (de gengiva) – uma séria infecção que, se não tratada, pode levar a perda dos dentes.

A doença periodontal pode também levar ao aparecimento de problemas de saúde geral, como doenças do coração. Outros sintomas também podem determinar se você tem doença periodontal. Marque suas respostas para as perguntas abaixo e descubra!!!

  • Você sente ou já sentiu alguma dor na sua boca?
  • Suas gengivas sangram?
  • Quando você passa o fio dental ou escova os dentes?
  • Quando você mastiga alimentos duros?
  • Você tem notado o aparecimento de espaços entre seus dentes?
  • Suas gengivas as vezes parecem inchadas ou macias?
  • Você notou se suas gengivas se afastaram dos seus dentes?
  • Suas gengivas estão retraindo?
  • Seus dentes parecem mais longos?
  • Você tem mau hálito persistente?
  • Sua gengiva “coça” em algum lugar?
  • Entre seus dentes e a gengiva, você tem notado pus?
  • Você nota como seus dentes se encaixam quando você morde?
  • Têm notado alguma diferença de posição ultimamente?
  • Já apareceu alguma ferida em sua boca?

Não deixe a doença periodontal levar embora o seu sorriso. Se você respondeu sim a alguma destas perguntas, marque já uma avaliação periodontal, para ajudar a salvar seus dentes naturais!

Se você já perdeu algum dente por doença periodontal, você talvez possa estar interessado em implantes dentários, a opção de reposição dos dentes permanentes.

O que é Tratamento Endodôntico?

Mais conhecido como tratamento de canal. Trata-se da remoção da polpa – tratamento químico e mecânico da parte interna do dente e preenchimento deste espaço por um material obturador.

Por que se indica Tratamento Endodôntico?

Por vários motivos como:

  • Dor espontânea e latejante, quando o uso de analgésicos já não resolve.
  • Cárie muito profunda.
  • Dente que receberá coroa / prótese, entre outros.

O tratamento é dolorido?

Não. A anestesia impede que o paciente sinta dor. Em alguns casos pode haver pequena sensibilidade até 72 horas após o tratamento, que é resolvida pela ingestão analgésicos.

Quando é necessário retratar o canal?

Quando há imperfeição do tratamento existente o que pode provocar lesões ou abcessos na região da ponta da raiz (detectados em radiografias)

O dente morre após o tratamento?

Não, apenas não tem mais sensibilidade interna, portanto se apresentar cárie não haverá dor, o que é um aviso de “algo errado”. Os tecidos de suporte continuam vivos e sensíveis à pressão. Apenas com pressão intensa haverá dor.

O dente escurece após o tratamento?

Não. O que ocorre é a perda do brilho, podendo aparentar um tom mais amarelado. O escurecimento exagerado ocorre quando o dente sofreu uma hemorragia ou mortificação antes do tratamento.

O que ocorre se o canal não for tratado?

Poderá ocorrer dor intensa, inflamação, inchaço, e ainda a perda do dente.

O que é ortodontia?

Ortodontia é uma especialidade odontológica que corrige a posição dos dentes e dos ossos maxilares posicionados de forma inadequada.

Dentes tortos ou dentes que não se encaixam corretamente são difíceis de serem mantidos limpos, podendo ser perdidos precocemente, devido à deterioração e à doença periodontal.

Também causam um estresse adicional aos músculos de mastigação que pode levar a dores de cabeça, distúrbios da ATM e dores na região do pescoço, dos ombros e das costas.

Os dentes tortos ou mal posicionados também prejudicam a sua aparência.

Como saber se preciso de um ortodontista?

Apenas o dentista ou ortodontista poderá determinar se você poderá se beneficiar de um tratamento ortodôntico. Com base em alguns instrumentos de diagnóstico que incluem um histórico médico e dentário completo, um exame clínico, moldes de gesso de seus dentes e fotografias e radiografias especiais, o ortodontista ou dentista poderá decidir se a ortodontia é recomendável e desenvolver um plano de tratamento adequado para você.

Se você apresenta algum dos problemas abaixo, pode ser um candidato para o tratamento ortodôntico:

Overjet ou Sobressaliência anterior – acontece quando os dentes anteriores superiores se posicionam muito à frente da arcada inferior.

Mordida cruzada anterior – uma aparência de “bulldog”, quando a arcada inferior está projetada muito à frente ou a arcada superior se posiciona muito atrás.

Mordida cruzada posterior – ocorre quando os dentes posteriores inferiores ocluem (fecham, mordem) por fora dos dentes posteriores superiores.

Mordida aberta – espaço entre as superfícies de mordida dos dentes anteriores quando os dentes posteriores se juntam. A mordida aberta também acontecer na região posterior.

Desvio de linha mediana – ocorre quando o centro das arcadas superior e inferior não estão alinhados entre si ou com a linha média facial.

Diastemas – falhas, ou espaços, entre os dentes como resultado de dentes ausentes, discrepâncias nos tamanhos dentários, freio labial baixo, etc.

Apinhamento – ocorre quando existem dentes extranumerários(mais dentes do que o normal) ou discrepâncias entre o tamanho dos dentes e das arcadas(“dentes grandes para arcadas pequenas”).

Como funciona um tratamento ortodôntico eficaz?

Diversos tipos de aparelhos, tanto fixos como móveis, são utilizados para ajudar a movimentar os dentes, retrair os músculos e alterar o crescimento mandibular. Estes aparelhos funcionam colocando uma leve pressão nos dentes e ossos maxilares. A gravidade do seu problema é que irá determinar qual o procedimento ortodôntico mais adequado e mais eficaz.

Aparelhos fixos podem ser:

Aparelho fixo – este é o tipo mais comum de aparelho; consiste de bandas, fios e braquetes. As bandas são fixadas em volta de vários dentes ou um só dente, e utilizadas como âncoras para o aparelho, enquanto que os braquetes são presos na parte externa do dente. Os fios em forma de arco passam através dos braquetes e são ligados às bandas.

Apertando-se o arco, os dentes são tracionados, movendo-se gradualmente em direção à posição correta. Os aparelhos fixos são geralmente apertados a cada mês para se obter os resultados desejados, que podem ocorrer no prazo de alguns meses até alguns anos. Atualmente eles são menores, mais leves e exibem bem menos metal que no passado. Podem apresentar cores vivas para as crianças, bem como estilos mais claros, preferidos por muitos adultos.

Impedidores de hábito – utilizados para controlar o hábito de chupar o dedo ou fonação atípica, por exemplo.

Mantenedor de espaço fixo – se o dente de leite é perdido precocemente, um protetor de espaço é utilizado para manter este espaço aberto até que o dente permanente nasça. Uma banda é cimentada ao dente próximo ao espaço vazio e um fio é estendido até o dente do outro lado do espaço.

Disjuntor maxilar – Consiste em uma placa de resina que se encaixa sobre o céu da boca apoiada em anéis fixados aos dentes posteriores. A pressão externa aplicada sobre a placa por meio de um parafuso força “as juntas dos ossos do palato” (sutura palatina mediana) a se abrirem para os lados, alargando a área palatina.

Aparelhos móveis incluem:

Niveladores – uma alternativa para os aparelhos convencionais para adultos, niveladores em série estão sendo utilizados por um número crescente de ortodontistas para mover os dentes da mesma forma que os aparelhos fixos, mas sem os fios de aço e os braquetes. Os niveladores são virtualmente invisíveis e removíveis para que o usuário possa se alimentar, escovar os dentes e passar o fio dental.

Mantenedores de espaço móveis – estes aparelhos têm a mesma função que os mantenedores fixos. São feitos com uma base acrílica que se encaixa sobre a mandíbula e têm braços de plástico ou fios de aço entre determinados dentes que devem ser mantidos separados.

Aparelho extrabucal – com este aparelho, uma faixa é colocada em volta da parte de trás da cabeça, e ligada a um elástico na frente, ou um arco facial. Este aparelho “retarda” o crescimento da maxila e redireciona o crescimento da mandíbula mantendo os dentes posteriores onde estão, enquanto os dentes anteriores são empurrados para trás.

Contenções móveis – utilizados no céu da boca, estes aparelhos de contenção previnem que os dentes voltem à posição anterior. Podem também ser modificados e utilizados para evitar que a criança chupe o dedo.

Clareamento dos dentes

Ao contrário do que muitos pensam, não é necessário esperar que os dentes estejam manchados ou escuros demais para optar por um tratamento de clareamento. “O clareamento é recomendado para todo paciente insatisfeito com a cor de seus dente

Eficácia – Existem vários tipos de tratamento para clarear os dentes, porém, em alguns casos, as manchas podem ser removidas somente com profilaxia. De qualquer maneira, a alteração da cor do dente só se consegue com clareamento. Não existem tratamentos mais ou menos eficazes. Na verdade todos os tipos de clareamento seguem o mesmo princípio: a ação de um gel (peróxido de hidrogênio ou carbamida) em diferentes concentrações, que libera oxigênio, e este altera a cor do dente.

Método – O gel não é abrasivo nem enfraquece os dentes. Quanto maior a sua concentração, mais rápido pode ser o clareamento. Concentrações acima de 20% só podem ser feitas em consultório. O gel nessas concentrações queima as mucosas e necessita cuidados especiais.

Existe também o clareamento caseiro feito com gel de 3,5 a 20% e moldeiras de silicone. Para apresentar resultados, o tratamento caseiro demora 15 dias e o uso do gel e da moldeira varia de 1 a 6 horas por dia. Os tratamentos feitos em consultório exigem pelo menos 2 sessões de cerca de 1h30 a 2 horas e o gel é ativado por uma fonte de luz (LED, Laser ou associação dos dois).

Não existe tratamento em sessão única. É só estratégia de marketing.

Resultado – O resultado é subjetivo. Cada paciente responde ao tratamento de forma diferente. Não é possível prever ou afirmar quantos tons o dente vai clarear. Depende da resposta biológica de cada um. O efeito do tratamento dura de 2 a 3 anos. Na literatura, 43% dos casos ficam estáveis por mais de 5 anos.

Alimentação – Recomenda-se evitar alimentos pigmentados durante o tratamento. No tratamento caseiro é melhor esperar pelo menos duas horas de intervalo para ingerir alimentos como café e refrigerante, por exemplo, para dar tempo de o dente hidratar.

Quanto custa o clareamento dental, as facetas e todo tratamento estético?

Depende da complexidade de cada caso e, consequentemente, do tipo de tratamento.

Por exemplo: há casos em que apenas 1 sessão de clareamento a laser será necessária, em outros o melhor tratamento é a utilização de facetas. Além disso, há alternativas entre os tratamentos, no caso de clareamento pode ser realizado com moldeira (caseira) ou com tratamento a laser (consultório).

Somente após uma primeira avaliação clínica seremos capazes de fazer um orçamento.

Quanto tempo preciso para fazer meu tratamento?

Isso também será determinado pelo tipo de tratamento e gravidade do seu caso. Os clareamentos dentais mais simples podem durar apenas 1 sessão.

Já na primeira consulta de avaliação, realizamos um planejamento da quantidade de sessões necessárias e horários de maior comodidade.

Em muitos casos, nossos pacientes procuram acelerar o tratamento através de sessões intensivas

Dentaduras têm prazo de validade?

As próteses dentais impróprias afetam mastigação, fonação, estética e podem causar até neoplasias malignas. Visita regular ao dentista previne problemas de reabilitação oral

– As próteses dentais têm prazo de validade: uma dentadura que “dança” na boca pode dificultar a fala e a mastigação ou deixar o rosto precocemente envelhecido. Nestes casos, deve ser substituída, sob o risco de prejudicar a saúde. O uso contínuo de uma dentadura inadequada ou mal ajustada pode lesar a mucosa e até originar uma neoplasia maligna (câncer) devido ao trauma constante nos tecidos moles da boca. Ao longo dos anos, o ser humano apresenta reabsorção óssea. Ou seja, os ossos sobre os quais a prótese dental foi moldada diminuem naturalmente. Esta mudança pode deixar a prótese instável.

Segundo especialistas, a cárie é a principal responsável pela perda dental. Já na vida adulta, a prevalência maior é da doença periodontal, que afeta as gengivas. Jovens também podem desenvolver problemas periodontais severos, por isso destacamos a importância da visita regular ao dentista para o diagnóstico precoce da doença.

Tratamento

Entre as opções de tratamento de reabilitação oral para casos de edentulismo (ausência de dentes) estão a prótese total (dentadura) e a prótese fixa sobre implante. A prótese fixa sobre implante, na nossa opinião , é a solução definitiva porque oferece maior estabilidade e segurança para o paciente mastigar, sorrir e falar, recuperando sua auto-estima e favorecendo o seu convívio social.

O setor odontológico está em constante evolução e há diversas técnicas e implantes disponíveis para reabilitação oral. Dependendo da avaliação clínica, o tratamento pode envolver o uso de enxerto ósseo e durar até seis meses para ser concluído. Quando a indicação clínica é favorável, é possível colocar o implante dental em até uma hora, sem necessidade de enxerto ósseo. Atualmente é possível substituir qualquer tipo de prótese dental pelo sistema de implante.

Dente do Siso

Os terceiros molares conhecidos como “dentes do siso”, normalmente erupcionam entre os 17 e 25 anos de idade, ou seja, são os últimos a aparecerem na boca.

Um terceiro molar erupcionado parcialmente pode provocar gengivites (inflamação da gengiva), abscessos, irritação local, dor, edema e até mesmo o aparecimento da cárie dental (figura), já que a higienização se torna difícil na região.

Quando o terceiro molar fica totalmente incluso (dentro do osso), pode produzir reabsorção do dente vizinho, transtornos dolorosos e até degenerações (lesões císticas).

“A extração do terceiro molar está indicada quando ele está mal posicionado, não há espaço suficiente na arcada, nos quadros de dor e quando a erupção não se completa.”

Para que a cirurgia tenha um pós-operatório tranquilo e sem grandes desconfortos para o paciente, existem medicamentos adequados que são prescritas pelo Cirurgião Dentista.

Atualmente, pode-se fazer aplicações de LASER para diminuir a sintomatologia pós-operatória e acelerar a cicatrização.

Para tornar a cirurgia o menos traumática possível para o paciente, pode ser utilizada sedação por óxido nitroso.

título

texto